Personalidades
Mario Terra

Mário Augusto Pereira Terra, professor de dança, bailarino e funcionário público federal. Um dos maiores símbolos da paixão pela dança e pioneiro das atividades afro-culturais aqui no município.

Mário Terra,como artisticamente chamado, faz da dança o seu estilo de vida. Em meados dos anos 80, quando a Cidade adormecia culturalmente, este negro ativo e de personalidade forte se engajava no movimento Black Power e na luta contra a discriminação racial.
Iniciou seus estudos na área da dança em 1984 com a dança contemporânea, viajando pela dança clássica, Jazz e dança Afro-Brasileira.
Participou de aulas em Salvador, no Balé Folclórico da Bahia e na Universidade Federal da Bahia, tendo adquirido assim mais experiência nos conceito rítmicos, afros e brasileiros.
Realizou em Viamão o primeiro "13 de Maio Não" atuando como diretor das apresentações de dança e teatro. Em palco deixou bem claro que essa data não representa nada para comunidade negra.

Nos anos 90 dedica-se totalmente ao trabalho do grupo 4ª Dimensão, Academia Movimento Vida em Porto Alegre, onde atuava como 1º bailarino. Ministra cursos de dança afros em várias cidades do RS, dirige artisticamente o Grupo Cultural de Artes Negra Kizomba, consagra-se como o melhor passista do carnaval de POA, e convidado para ministrar curso de samba em Buenos Aires, na Argentina. Na Unidos de Vila Isabel cria o 1º núcleo cultural dentro de uma escola de samba, com oficinas de dança, música, teatro e capoeira. Mario Terra sempre acha um tempinho para atividades sociais, no final de ano realiza, juntamente com sua esposa Carla Pires, uma grande festa em frente a sua casa, distribuem brinquedos, balas e lazer para as crianças carentes da comunidade. Como show tem que continuar, a Cia de Dança Brazil Estrangeiro na qual Mario Terra coreógrafo e bailarino, apresenta no dia 26 de novembro de 2004, mês da consciência negra ,no Solar dos Câmaras ao lado da Assembléia Legislativa do RGS as 18:30hs “os Lanceiros negros da Revolução Farroupilha “a história que não contada, um espetáculo de cênico de música, dança e poesia. Imperdível! Assim Mario Terra, um guerreiro urbano afro descendente.