Personalidades
Valdelina Araújo

Natural do Município da Mata antiga São Vicente e filha de José Luiz de Araújo e Mercedes Brocado de Araújo, Valdelina Araújo, 70 anos, nasceu em 24 de fevereiro de 1942 e aos 12 anos veio com sua família para a sua “querida” Cecília, exatamente na parada 11, onde reside até hoje.

A Valdelina está aposentada há mais de 10 anos, é divorciada, mãe de Clóvis Roberto Araújo Correa, 44 anos e de Niara Fernandes de 43 anos. Fala com muito carinho de seus quatro netos, Gabiela 15, Matheus 8, Laura 5 anos, filhos de Clóvis e de Daniele 12 anos.
Aos 28 anos de idade, preocupada com as principais necessidades da comunidade, começou atuar no trabalho social na Cecília, trazendo três médicos para trabalhar e atender a população carente em uma sala na casa dos Scliar, quatro anos depois, conseguiu com a ajuda do então prefeito Canelinha, a posse do terreno ao lado da sua casa. Canelinha também disponibilizou uma verba de CR$ 10.000,00 para o começo da obra. Com a posse deste terreno e com a ajuda de vários empresários da comunidade, coordenou a construção do posto de saúde para o bairro.

Junto Diretor do INAMPS da época Túlio Barcelos, conseguiu também a cedência de 10 Médicos para o posto de saúde, médicos que até hoje lembra com muito carinho o nome da cada um: Jorge Alberto Buchabque - Obstetra, Hugo Prestes Müller - Ginecologista, Lorena Galvani Furtado - Pediatra, Lívia Oliveira Miranda - Clinico Geral, Universina Ramos - Clínico Geral, César Augusto Silva da Silva - Pneumologista, Sérgio Afonso Sandam - Ortopedista, Marcos Schmitti - Cardiologista. Valdelina lembra com muita emoção do Jovem médico pediatra Édio Daboite, que atendeu no Posto de Saúde, mas morreu muito jovem.
Eleita vereadora nos anos 80. A determinada Valdelina ocupou a cadeira na Câmara Municipal de Vereadores de Viamão por dois mandatos e 1ª suplente na legislatura seguinte. Como vereadora consegui com o apoio da EVEL, através de Silvino Daboite, Antonio Rodrigues e do Prefeito Tapir Rocha para que asfaltassem a Plácido Mottin, a Colorado e a Guarani das Missões, da parada 4 até a parada 20 da Cecília, obra que se orgulha de ter deixado para a comunidade ceciliana usufruir.